Serviço de Distribuição de Água

Em função das disponibilidades hídricas da Albufeira do Roxo, das áreas e das culturas inscritas, a Direção, em colaboração com os serviços técnicos da ABROXO, elabora o plano de utilização da água de cada campanha de rega. Este plano de utilização é apresentado aos sócios, em Assembleia Geral, sendo aprovadas as dotações, a sua distribuição por culturas e aproveitamentos, assim como os inerentes custos da prestação do serviço de distribuição.
 
Para melhorar a gestão do sistema de distribuição de água implementou-se:
  • Redefinição e optimização de cantões de rega;
  • Alteração dos horários de rega e formas de registo;
  • Melhoria do sistema de comunicações móveis (entre os funcionários da ARBCAS e entre os regantes);
  • Melhoria do sistema de comunicações terrestres (meios de transporte e rodovias rurais);
  • Sistemas de automatizações nos principais orgãos e estruturas das obras (monitorizações, telecomandos);
  • Sistemas informáticos de apoio à gestão (SIG, registo e gestão de dados da rega, automatizações);
  • Melhoria do sistema de intervenção rápida de reparações;
 
Objetivos da modernização da gestão da rega:
  • Melhorar a qualidade do serviço prestado aos regantes (maior rapidez, maior precisão);
  • Redução das perdas de água;
  • Redução de custos operacionais;
  • Maior interação com os regantes.
 
Apoio técnico

Está disponível aos associados um técnico, para:
  • Apoio ao nível da produção agrícola;
  • Apoio no encaminhamento e tramitação dos subsídios;
  • Apoio na elaboração de projetos transmissão da informação difundida pelo Ministério da Agricultura;
  • Apoio às solicitações dos sócios que estejam ligadas com o mundo rural;
  • Elaboração de mapas georeferenciados;

Custo de alguns destes serviços para os sócios: gratuito*
Custo deste serviço para não sócios: a definir em função do serviço (materiais + tempo de mão de obra)
*apenas são solicitados os custos diretos dos materiais ou outros (por ex. o custo das cópias...)

 

Fornecimento de gasóleo

A ABROXO fornece gasóleo aos associados, por um custo inferior à tabela geral.
Os associados podem adquirir este produto das 8:00h às 12:30 h e das 13:30 h às 17:30 h, na sede da Associação, em Montes Velhos.

Novo serviço de apoio ao agricultor ao nível da gestão da rega na exploração

Criado pela Associação de Regantes do Roxo, com a finalidade de prestar apoio ao agricultor ao nível da gestão da rega na sua exploração.

Quando, Quanto e como Regar?

Serviços Integrados:

  • Calendário de rega para os próximos dias
  • Previsões meteorológicas
  • Dados dos sensores instalados no solo-cultura
  • Análise e relatório quinzenal
  • Sistema prático e funcional
  • Análises do solo, avaliação da fertilidade
  • Análises foliares
  • Aconselhamento da fertilização
  • Registo do histórico das operações
  • Envio da informação via sms e email

Principais Vantagens:

  • Aumento da eficiência no uso da água e redução das perdas de nutrientes e lixivação
  • Aumento da qualidade das produções unitárias e da rentabilidade global
  • Diminuição do impacte no meio ambiente por racionalização da fertilização e do uso da água
  • Redução do número de horas dedicada à rega, aumentando a disponibilidade para outras tarefas

 

 

CORPOS SOCIAIS DA ASSOCIAÇÃO DE BENEFICIÁRIOS ROXO
ELEITOS PARA O TRIÉNIO 2017 / 2019 

MESA DA ASSEMBLEIA GERAL
 Presidente:  Ricardo Manuel Gomes Mira Silva
 Vice-Presidente:  Innolivo Portugal Unipessoal, Lda. (Jeremias Lencastre e Távora)
 1.º Secretário:  Aloendro Agropecuária (Marco Antonius Maria Immink)
 2.º Secretário:  António Manuel Camacho Lampreia
 DIREÇÃO
 Presidente  António Manuel Rocha Parreira
 Vogal   Agro Vale Longo (Joaquim Augusto M. Soares Banza)
 Vogal   António Jacinto da Costa Canário
 Vogal  José Manuel Ferrari Lampreia
 Vogal  Citropedr`alva, Lda (David Manuel dos Santos Terêzo Ferreira)
SUPLENTES
   Casa Agrícola Vale de Zebro, Lda. (Francisco José Rodrigues)
   António José Mestre Pires
   António Manuel Rosa Santinhos
   Hugo José Ramos dos Anjos
   Sociedade Agrícola Lagoa da Ordem
JÚRI AVINDOR
 Presidente  Joana Galhardo Almodôvar Cruz Nascimento
   Campos do Roxo - Manuel Conceição Filhó
   António José Maximo Martelo

 




CORPOS SOCIAIS DA ASSOCIAÇÃO DE BENEFICIÁRIOS ROXO
ELEITOS PARA O TRIÉNIO 2014/2016

MESA DA ASSEMBLEIA-GERAL
Presidente: Ricardo Manuel Gomes Mira Silva
Vice-Presidente: Jeremias Lencastre e Távora
1.º Secretário: António Manuel Camacho Lampreia
2.º Secretário: Marco Antonius Maria Immink

DIREÇÃO
Presidente: António Manuel Rocha Parreira
Vogal: Joaquim Augusto Mangorrinha Soares Banza
Vogal: António Jacinto da Costa Canário
Vogal: José Joaquim do Sacramento Caixeirinho
Vogal: José Manuel Ferrari Lampreia
 
JÚRI AVINDOR
Presidente: Miguel Jorge Veigas Cardoso (DRAPAL)
Vogal: Eduardo Alberto Beatriz Dores
Vogal: Carlos Gerardo dos Santos Jordão (SILTOM)

 

De acção directa :

SUMÁRIO: Define e classifica obras de fomento Hidroagrícola
DATA: Sábado, 10 de Julho de 1982
NÚMERO: 157 - SÉRIE I
EMISSOR: Ministério da Agricultura, Comércio e Pescas
DIPLOMA: Decreto-Lei n.º 269/82
PÁGINAS: 2057 a 2070

SUMÁRIO: Aprova o Regulamento das Associações de Beneficiários
DATA: Quinta-feira, 4 de Novembro de 1982
NÚMERO: 255 - SÉRIE I
EMISSOR: Ministério da Agricultura, Comércio e Pescas
DIPLOMA: Decreto Regulamentar n.º 84/82
PÁGINAS: 3717 a 3725

SUMÁRIO: Estatuto laboral dos trabalhadores das Associações de Beneficiários
DATA: Quarta-feira 17 de Abril 1985
NÚMERO: 89 - SÉRIE I
EMISSOR: Ministério do Trabalho e Segurança Social e da Agricultura
DIPLOMA: Portaria nº 212/85
PÁGINAS: 1039 a 1047

SUMÁRIO: Dá nova redacção ao artigo 55.° do Regulamento das Associações de Beneficiários, aprovado pelo Decreto Regulamentar n.º 84/82, de 4 de Novembro
DATA: Segunda-feira, 2 de Fevereiro de 1987
NÚMERO: 27/87
SÉRIE: I
EMISSOR: Ministério da Agricultura, Pescas e Alimentação
DIPLOMA: Decreto Regulamentar n.º 11/87
PÁGINAS: 407 a 407

SUMÁRIO: Dá nova redacção ao artigo 55.° do Regulamento das Associações de Beneficiários, aprovado pelo Decreto Regulamentar n.º 84/82, de 4 de Novembro
DATA: 27 de Abril de 1992
NÚMERO: 97 - SÉRIE: I A
EMISSOR: Ministério da Agricultura, Pescas e Alimentação
DIPLOMA: Decreto Lei n.º 69/92
PÁGINAS: 1933

SUMÁRIO: adita o artigo 76º - A, ao DL 269/82, relativo à exclusão de prédios de áreas beneficiadas
DATA: 12 de Agosto de 1996
NÚMERO: 186 - SÉRIE I B
EMISSOR: Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das PescasDIPLOMA: Decreto Regulamentar nº 6/96
PÁGINAS: 2496

SUMÁRIO: Aprova a Lei Orgânica do Instituto de Hidráulica, Engenharia Rural e Ambiente
DATA: Sábado, 31 de Maio de 1997
NÚMERO: 125/97 - SÉRIE I-A
EMISSOR: Ministério da Agricultura do Desenvolvimento Rural e das Pescas
DIPLOMA: Decreto-Lei n. 136/97
PAGINAS: 2637 a 2647

SUMÁRIO: Actualiza o regime jurídico das obras de aproveitamento Hidroagrícola, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 269/82, de 10 de Julho
Decreto Lei n.º 351/97 de 05 de Dezembro (proíbe arborizações em aproveitamentos hidroagricolas....)
DATA: 6 de Abril de 2002 NÚMERO: 81 - SÉRIE I A 
EMISSOR: Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas 
DIPLOMA: Decreto Regulamentar nº 86/2002 
PÁGINAS: 3257 a 3281


 

De acção (in)directa :

Legislação relativa à água e ao meio hídrico

Decreto-Lei n.º 468/71, de 5 de Novembro - Revê, actualiza e unifica o regime jurídico dos terrenos do domínio público hídrico, no qual se incluem os leitos e as margens das águas do mar, correntes de água, lagos e lagoas, de modo a facilitar o seu aproveitamento para os diversos usos de que são economicamente susceptíveis - Revoga várias disposições legislativas

Decreto-Lei n.º 502/71, de 18 de Novembro - Insere disposições relativas à classificação, protecção e exploração das albufeiras de águas públicas

Decreto-Lei n.º 53/74, de 15 de Fevereiro - Altera a redacção do artigo 20.º do Decreto-Lei n.º 468/71, de 5 de Novembro, relativo ao regime jurídico dos terrenos submetidos ao domínio público hídrico

Decreto-Lei n.º 89/87, de 26 de Fevereiro - Estabelece medidas de protecção às zonas ameaçadas pelas cheias, introduzindo alterações ao Decreto- -Lei n.º 468/71, de 5 de Novembro

Decreto Regulamentar n.º 2/88, de 20 de Janeiro - Classifica, para efeitos da aplicação do Decreto-Lei n.º 502/71, de 18 de Novembro, as albufeiras de águas públicas de serviço público

Decreto-Lei n.º 11/90, de 6 de Janeiro - Aprova o Regulamento de Segurança de Barragens

Decreto-Lei n.º 70/90, de 2 de Março - Define o regime de bens do domínio público hídrico do Estado

Decreto-Lei n.º 74/90, de 7 de Março - Aprova as normas de qualidade da água

Decreto Regulamentar n.º 37/91, de 23 de Julho - Altera o Decreto regulamentar n.º 2/88, de 20 de Janeiro, que classifica, para efeitos da aplicação do

Decreto-Lei n.º 502/71, de 18 de Novembro, as albufeiras de águas públicas de serviço público

Portaria n.º 333/92, de 10 de Abril - Estabelece normas relativas à elaboração de planos de ordenamento de albufeiras classificadas

Decreto Regulamentar n.º 33/92, de 2 de Dezembro - Altera o Decreto Regulamentar n.º 2/88, de 20 de Janeiro (classifica para efeitos de aplicação do Decreto- -Lei n.º 502/71, de 18 de Dezembro, as albufeiras de águas públicas de serviço público)

Portaria n.º 846/93, de 10 de Setembro - Aprova as Normas de Projecto de Barragens

Portaria n.º 847/93, de 10 de Setembro - Aprova as Normas de Observação e Inspecção de Barragens

Decreto-Lei n.º 409/93, de 14 de Dezembro - Aprova o Regulamento de Pequenas Barragens

Decreto-Lei n.º 45/94, de 22 de Fevereiro - Regula o processo de planeamento de recursos hídricos e a elaboração e aprovação dos planos de recursos hídricos

Decreto-Lei n.º 46/94, de 22 de Fevereiro - Estabelece o regime de licenciamento da utilização do domínio hídrico, sob jurisdição do Instituto da Água

Decreto-Lei n.º 47/94, de 22 de Fevereiro - Estabelece o regime económico e financeiro da utilização do domínio público hídrico, sob jurisdição do Instituto da Água

Portaria n.º 133/95 (2.ª série), de 29 de Abril - Dando cumprimento ao disposto no n.º 3 do artigo 12.º do Decreto-Lei n.º 47/94, de 22 de Fevereiro, determina que os livros de registo referidos no n.º 1 do mesmo diploma obedeçam aos modelos anexos

Portaria n.º 940/95, de 26 de Julho - Aprova as declarações oficiais a apresentar pelos utilizadores do domínio público hídrico

Decreto-Lei n.º 235/97, de 3 de Setembro - Transpõe para o direito interno a Directiva n.º 91/676/CEE, do Conselho, de 12 de Dezembro de 1991, relativa à protecção das águas contra a poluição causada por nitratos de origem agrícola

Decreto-Lei n.º 21/98, de 3 de Fevereiro - Cria a Comissão de Gestão de Albufeiras

Portaria n.º 246/98, de 21 de Abril - Aprova as Normas de Construção de Barragens

Decreto-Lei n.º 234/98, de 22 de Julho - Altera os artigos 45.º, 46.º 47.º e 48.º do Decreto-Lei n.º 46/94, de 22 de Fevereiro (limpeza e desobstrução de linhas de água)

Decreto-Lei n.º 236/98, de 1 de Agosto - Estabelece normas, critérios e objectivos de qualidade com a finalidade de proteger o meio aquático e melhorar a qualidade das águas em função dos principais usos. Revoga o Decreto-Lei n.º 74/90, de 7 de Março

Portaria nº 783/98 de 19 de Setembro - Despacho nº 660/99 de 09/08/99 (regulamento de funcionamento da Comissão de Gestão de Albufeiras)Regulamento de navegação em albufeiras 

A exploração do aproveitamento do Roxo iniciou-se em 1969, sob a gestão da Direcção-Geral dos Serviços Hidráulicos, passando esta actividade para a Associação de Beneficiários e Regantes do Roxo em 1970. Em 1994, em consequência de disposição legal, os estatutos da associação foram modificados passando a designar-se Associação de Beneficiários do Roxo. 

Tipo de organização: Associação sem fins lucrativos, tutelada pelo Ministério da Agricultura. Pessoa Colectiva de Direito Público n.º 500032386. 
Classificação de Actividades Económicas: CAE - 01610 - Actividades dos serviços relacionados com a agricultura. 
Principal Actividade: Exploração e Conservação do Aproveitamento Hidroagrícola do Roxo. 

Principais objectivos : 

1. Distribuir água, em quantidade e qualidade aos beneficiários do aproveitamento hidroagrícola; 
2. Efectuar a gestão das estruturas, equipamentos e pessoal afectos ao aproveitamento hidroagrícola; 
3. Efectuar a conservação e manutenção das estruturas e equipamentos afectos ao aproveitamento hidroagrícola; 
4. Promover o regadio e as actividades agro-rurais da região representar e defender os interesses dos beneficiários. 

Área beneficiada pela rega : 5.041 ha; 

Distribuição de água: Agricultura, Populações, Indústrias. 

Designação do aproveitamento hidroagrícola gerido pela ABR: Aproveitam