“As novas culturas, culturas que os agricultores do concelho de Aljustrel não estavam habituados a produzir, hoje são uma realidade com a chegada da água".

A afirmação foi proferida por Nelson Brito, presidente da Câmara de Aljustrel, esta sexta-feira, de manhã, na abertura do 6.º Encontro Ibérico - Regadio e Sustentabilidade que teve como tema “Da Investigação à Produção“. Um evento integrado na 16.ª edição da Feira do Campo, em Aljustrel.

Esta iniciativa juntou agricultores do concelho e teve como oradores Carlos Marques e António Parreira, da Associação de Beneficiários do Roxo; Teresa Carvalhos, da Escola Superior Agrária de Beja; Teresa Brás, do Centro de Biotecnologia Agrícola e Agroalimentar  do Alentejo e João Serrano, da Fairfruits Group.

Noticia "Rádio Pax"

A albufeira do Roxo, que está a 21 por cento da capacidade útil, vai receber pela primeira vez, a partir de quinta-feira, água do Alqueva para garantir rega e abastecimento público aos concelhos de Beja e Aljustrel.

Segundo a Empresa de Desenvolvimento e Infra-estruturas do Alqueva (EDIA), num comunicado enviado à agência Lusa, a barragem vai começar a transferir 15 milhões de metros cúbicos (m3) de água para a albufeira do Roxo, através da central mini-hídrica ali instalada, para "alimentar" os perímetros de rega e garantir o abastecimento público a Beja e Aljustrel.

O início da transferência de água vai ser assinalado na quinta-feira à tarde, num acto junto à central mini-hídrica do Roxo, no concelho de Aljustrel, distrito de Beja, e que conta com a presença do comissário europeu para a Agricultura, Phil Hogan, e do ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos.

A escassez de água no Baixo Alentejo está a ter implicações graves nas culturas e no abeberamento dos animais, dizem os agricultores da região. Na zona do Campo Branco, por exemplo, já se recorre a cisternas móveis para transportar água para o gado. A falta de chuva também já levou a Câmara de Mértola a abastecer algumas localidades do concelho recorrendo a autotanques.

O chamado açude de Entradas, construído pela Associação de Agricultores do Campo Branco (AACB) numa das “principais ribeiras da zona”, a de Cobres, para reter a água destinada ao abeberamento dos gados em anos de seca, está “completamente seco”, quando, por esta altura, deveria “estar cheio”. Para o presidente da referida associação, José da Luz, este é um “sinal inequívoco de que as coisas estão muito complicadas” em termos de escassez de água. Nos restantes açudes edificados pela AACB no âmbito de um programa de apoio ao abeberamento dos efetivos pecuários dos seus associados o cenário é muito idêntico. “O ano passado já foi um ano difícil, porque tivemos uma primavera em que não choveu. E neste último inverno praticamente também não choveu. Os ribeiros, os barrancos, as charcas estão secos, o que é uma situação difícil tendo em conta que é uma zona de muita pecuária extensiva e os animais têm obrigatoriamente de beber”, porque disso depende “a sua sobrevivência”.

A Barragem do Roxo recebe desde dia 9 de Junho, o primeiro transvase de água a partir da albufeira do Alqueva, num momento testemunhado pelo comissário europeu da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Phil Hogan, e pelo ministro da Agricultura, Capoulas Santos.

De acordo com a EDIA, serão aduzidos 15 milhões de metros cúbicos de água para o Roxo, destinados ao perímetros de rega do Roxo e ao abastecimento público aos concelhos de Beja e de Aljustrel.
Trata-se de "um marco histórico" para o concelho de Aljustrel, assinala o autarca Nelson Brito, sublinhando que assim se garante, "num momento em que a seca é uma realidade, os níveis de abastecimento de água às populações dos concelhos de Aljustrel e Beja, bem como os índices de abastecimento de água para fins agrícolas".

A chegada da água do Alqueva ao Roxo está agendada para as 15h30, hora em que Phil Hogan e Capoulas Santos vão estar na sala de trabalho da mini-hídrica do Roxo para apertar o botão que permitirá a operação.

Depois, o comissário europeu e o ministro irão até ao paredão da barragem, participar numa cerimónia protocolar que inclui uma visita à sala do posto de comando da barragem e a inauguração de um monumento, situado junto à entrada no paredão, que assinala e perpetua o desenvolvimento do projecto do Roxo.
Por fim, os dois responsáveis irão conhecer a nova Plataforma Logística de Concentração e Expedição de Hortícolas do Empreendimento de Fins Múltiplos do Alqueva, projecto da Agromais construído em Ervidel.

A ABR realizou no passado dia 30 de Março, pelas 14:30 H no Auditório da Câmara Municipal de Aljustrel, a Apresentação Pública Projecto PRODER 4.2.2 Redes de Divulgação de Informação, subordinado ao tema em assunto.

Esta apresentação enquadrou-se no âmbito do projecto PRODER-Medida 4.2.2—Qualidade da Água do Roxo na Dinâmica dos Solos e Culturas Agrícolas que teve por objectivo a criação de uma Plataforma On-line afim de:

i) Proporcionar a concentração da informação integrada dos parâmetros de avaliação de qualidade a água da Albufeira do Roxo e seu perímetro de rega e os diferentes tipos de solos;

ii) Estabelecer relações entre a informação coligida e as culturas mais adequadas para identificação dos riscos e minimização dos mesmos no perímetro de rega do Roxo.